Estamos preparando um novo site, enquanto isso, leia mais sobre a nova marca.

Tuzzi capta recursos para acelerar seu desenvolvimento de produtos

Empresa utiliza o FINEP 2030 Empresarial para reduzir os custos de P&D e compartilhar riscos.

Compartilhe:


A execução de um projeto de veículos automotores é fruto do trabalho conjunto de uma rede de empresas de pequeno, médio e grande porte, além da montadora, com capacidade de criar soluções inovadoras.

A Tuzzi é uma empresa brasileira referência em sistemas de tração e acoplamento para tratores para o setor agrícola, além de atuar em outros setores como o automotivo, industrial, ferroviário e construção civil.

Para atender a grande demanda global por máquinas e implementos agrícolas, a Tuzzi precisa desenvolver e produzir peças e componentes cada vez mais resistentes, leves, com bom custo-benefício e customizadas a partir das necessidades de seus clientes.

Isso demanda intensa pesquisa de novos materiais, novas ligas metálicas, processos químicos, tratamentos térmicos e usinagem. Assim, em 2014 a Tuzzi inaugurou seu Centro Tecnológico, focado nos processos de validação dos produtos desenvolvidos, no desenvolvimento de inovações, e também em soluções sob medida. Tudo isso aliado a tecnologias de ponta, expertise em engenharia e testes avançados com simulações reais de trabalho.

Por entender o papel da pesquisa e da inovação, a Tuzzi investe hoje 5% do faturamento em PD&I, e participa ativamente da MEI – Mobilização Empresarial pela Inovação. Inclusive foi por meio de uma imersão ao ecossistema de inovação que aconteceu na China, liderada pela MEI em 2019, que a ABGI e a Tuzzi se conheceram e se aproximaram.

Captação de recursos

Muitas empresas do setor utilizam tratamentos térmicos sofisticados que encarecem o produto. A proposta inovadora da Tuzzi é desenvolver novos sistemas de acoplamento e tração com melhor desempenho e menos uso de matéria-prima. A solução envolve a obtenção de aços com propriedades de maior resistência à fadiga e ao desgaste, bem como, menor peso. O processo integra, ainda, o uso de tecnologias de ligas metálicas com nióbio (Nb), vanádio (V) e titânio (Ti), com consequente redução de custos e dos impactos ambientais associados ao uso do aço e ao consumo de combustível, em função da redução do peso do componente.

Até o momento a Tuzzi utilizava recursos próprios para alavancar seus projetos, mas para acelerar ainda mais suas iniciativas de inovação, a empresa viu no lançamento do FINEP Empresarial 2030 uma oportunidade para um aporte extra de recursos. A ABGI auxiliou na escrita, submissão e acompanhamento do projeto até a aprovação.

Foi um marco para a empresa angariar três milhões na primeira tentativa de captação de recursos públicos, assim como foi um desafio para a ABGI trabalhar com um novo setor e uma nova área de conhecimento.

Segundo Cesar Bonacini, responsável pela área comercial e engenharia da Tuzzi, foi uma importante mudança de pensamento para a empresa entender que não precisa inovar apenas com recursos próprios e que pode fomentar ainda mais suas inovações com recursos externos.

“Captação é ainda um tabu no Brasil para pequenas e médias empresas e não teríamos conseguido sem a ABGI, que mostrou o benefício para a empresa, apoiou do início ao fim do projeto e, principalmente, pelo apoio da Fernanda que compreendeu o projeto e o tipo de inovação, estudou e aprendeu muito rápido sobre o nosso universo.” – afirma César

Fernanda Freitas é Innovation Expert na ABGI, acompanhou todas as etapas junto à Tuzzi e, para ela, um importante fator para a segurança foi o apoio da FINEP.

A equipe interna da FINEP manteve-se aberta e próxima durante todo o processo, orientaram sobre todos os procedimentos, validaram a aderência do projeto ao edital, assim como na agilidade das análises técnica, financeira e jurídica assinatura do contrato e liberação do recurso.

O FINEP 2030 Empresarial é uma linha de fluxo contínuo de recursos não-reembolsáveis que apoia o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores para a cadeia automotiva.

Aprendizados

A empresa que já tinha um DNA inovador, agora vai se tornar ainda mais competitiva e apta a expandir seu conhecimento sobre o uso deste tipo de tecnologia.

É comum observar as montadoras buscando inovar, captar recursos e capacitar fornecedores. No caso da Tuzzi, é uma fornecedora que está à frente e agora influenciando os demais elos da cadeia agrícola.

Todo o processo de captação contribuiu para a empresa se sentir segura para ampliar seu investimento. Como contrapartida, a Tuzzi investirá mais de 2 milhões em infraestrutura para a construção de uma estrutura piloto de tratamento térmico especial, expandindo sua capacidade de pesquisa e seu Centro Tecnológico. No futuro breve, essa estrutura apoiará na pesquisa e desenvolvimento de materiais avançados.

Agora com a experiência de captação de recursos, deve continuar monitorando as oportunidades de fomento e alavancando mais projetos de inovação na empresa.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir para o topo

Contato

Tem alguma dúvida? Estamos aqui para ajudar!

Entre em contato