Estamos preparando um novo site, enquanto isso, leia mais sobre a nova marca.

ABGI participa do Seminário Estratégico Finep 2020-2030

Evento debateu o papel do estado na definição de políticas públicas para CT&I.

Compartilhe:


Nos últimos dias 30 e 31 de janeiro, nossa Coordenadora de Inovação Lorena Tameirão, participou do Seminário Estratégico Finep 2020-2030, evento organizado pela financiadora para debater o Sistema Nacional de CT&I e ajudar a pavimentar o desenvolvimento econômico brasileiro via Pesquisa & Desenvolvimento.

O Seminário contou com a participação de diversos atores do ecossistema de ciência e tecnologia. Durante o evento foi destacada a necessidade da Reforma das Políticas de C&T, para a qual o governo realizou consulta pública para elaboração do Plano Nacional de Inovação, encerrada em dezembro 2019, qual a ABGI foi uma das 32 empresas que contribuíram para a consulta. Veja mais sobre esta ação e suas diretrizes: https://ibrasil.mctic.gov.br/#planejamento

Interação universidades e empresas

Para falar de C&T e desenhar uma política pública, primeiramente é preciso respeitar a natureza institucional dos atores envolvidos. A cada ator se aplica ou se demanda um tipo de fomento, reembolsável ou não reembolsável, e os esforços precisam ser convergentes para que o sistema se beneficie como um todo.

Uma importante reflexão realizada durante o seminário é se universidades federais tem futuro com seu desenho atual?  É importante refletir sobre a necessidade de adaptação. A espinha dorsal do sistema de C&T são as instituições de ensino e pesquisa, mas demandam um novo modelo jurídico, compatível com o dinamismo do mercado e da necessidade de novos perfis para atender as novas profissões. 

Existe um distanciamento considerável entre cientista e empresário (visão de protótipo X produto pronto para o mercado), que demandam iniciativas de conexão entre os dois mundos, onde haja interesse mútuo das partes, acadêmica e mercado, para desenvolver soluções conjuntas.

“A participação no seminário reforçou a visão crítica e a abertura do governo com esforços para otimizar a inovação aberta, incluindo estratégias tributárias e jurídicas, visando integrar e desburocratizar o ecossistema de inovação,” completa Lorena Tameirão

Interação com governo

Também foi abordado a importância de reforçar cada vez mais o trabalho em rede, a Inovação Aberta. Para se fazer Inovação Aberta, os órgãos públicos precisam lidar com o ambiente de risco e incerteza que envolve a inovação.

É uma demanda urgente de reforma tributária e jurídica, pois o sistema atual de C&T não está preparado para lidar com novos formatos de contratação, por exemplo, em um programa de inovação aberta com startups, pode ser necessário investir em 10 startups e apenas 1 ter sucesso, segundo os objetivos do governo.

Políticas Públicas

A ABGI, assim como todos os atores do ecossistema de inovação, conta com o Plano Nacional de Inovação com visão de longo prazo e fortaleça o ambiente de sinergia entre as diversas áreas: governamentais, setor produtivo e academia para o desenvolvimento tecnológico do país.

A ABGI acredita que além dos esforços individuais dos atores, visão de protagonista e não reticente aos desafios, acreditamos que no estado empreendedor que garante segurança jurídica, que cria mecanismos de apoio, que investe em pesquisa e se aproxima das empresas.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir para o topo

Contato

Tem alguma dúvida? Estamos aqui para ajudar!

Entre em contato