Estamos preparando um novo site, enquanto isso, leia mais sobre a nova marca.

Bancos Comerciais x Bancos de Desenvolvimento

Existem no mercado diferentes tipos de bancos cada qual com suas particularidades e objetivos.

Compartilhe:


Um banco é uma instituição financeira que intermedia capital entre agentes superavitários e deficitários, ou seja, administra o dinheiro que seus clientes deixam sob sua custódia, e o utiliza para empréstimo a pessoas físicas ou jurídicas aplicando-lhes juros, além de providenciar outros serviços como saques, investimentos, entre outros. O Banco Central atua para garantir a saúde e o equilíbrio econômico-financeiro dessas instituições e regular o Sistema Financeiro Nacional (SFN) para apoiar a adoção de condutas adequadas na realização de seus negócios.

Existem no mercado diferentes tipos de bancos cada qual com suas particularidades e objetivos socioeconômicos, sendo os principais os Bancos de Investimento, Bancos Múltiplos, Bancos Comerciais e Bancos de Desenvolvimento. Este artigo tem como objetivo esclarecer as principais diferenças entre os dois últimos listados.

Bancos Comerciais

Os Bancos Comerciais, são instituições financeiras privadas, públicas ou sociedade  de economia mista, que são a base do sistema monetário nacional. Estes devem ser constituídos sob a forma de sociedade anônima, assim não possuem capital social sob domínio de alguém em específico, mas sim dividido em ações, e de acordo com a Resolução CMN 2.099, de 1994 do Banco Central, na sua denominação social deve constar a expressão “Banco”. Aqui vale ressaltar o surgimento dos Bancos Digitais, cujo crescimento foi potencializado com a pandemia, e que a principal diferença é a prestação de serviço ser exclusivamente online, enquanto nos tradicionais variam entre físico e digital.

O principal objetivo dos Bancos Comerciais é proporcionar recursos monetários para financiar as necessidades de pessoas físicas e jurídicas em geral. Para financiar suas operações, os bancos recolhem depósitos à vista livremente movimentáveis (via conta corrente) ou depósitos a prazo (CDB). Os principais serviços disponíveis aos clientes são: abertura de conta corrente/poupança, utilização de cartão de débito/crédito, movimentações financeiras entre contas, pagamentos de contas, custódia de bens em cofres, empréstimos diversos, entre outros.

Bancos de Desenvolvimento

Os Bancos de Desenvolvimento são instituições financeiras públicas que surgiram na década de 1940 com objetivo de reestruturação, no período pós-guerras mundiais. Atualmente, são quatro os Bancos de Desenvolvimento do Brasil, sendo eles: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com atuação nacional, Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (BANDES) e Banco de Desenvolvimento Regional do Extremo Sul (BRDE). Atuam, também, como Bancos de Desenvolvimento o Banco da Amazônia (BASA) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), atendendo respectivamente a demanda do Norte e Nordeste, porém como possuem carteira comercial são classificados como Bancos Múltiplos pelo Banco Central.

De acordo com a definição do Banco Central, os Bancos de Desenvolvimento têm como objetivo principal proporcionar o suprimento oportuno e adequado dos recursos necessários ao financiamento, a médio e a longo prazo, de programas e projetos que visem a promoção do desenvolvimento econômico e social. Cada Banco tem sua maneira de atuar, mas todas incentivam e auxiliam para que os setores privado e público assumam os desafios em investimentos estratégicos de longo prazo. Assim, estas instituições visam o investimento em todos os segmentos da economia brasileira, capitalizando para empreendedores de todos os portes, na implementação de seus planos de negócio e projetos, buscando sempre o potencial de geração de empregos, renda e de inclusão social.

Em breve traremos uma análise da atuação dos bancos em projetos de Inovação e ESG.

Autor:

João Tosi é graduado em Engenharia Civil pela PUC Minas e pós-graduando em BIM (Building Information Modeling) pela mesma instituição. Possui experiência em projetos de pesquisa em energia renovável e novas tecnologias na construção civil realizado na Alemanha. Na Abgi Brasil, atua em projetos de Lei do Bem e Rota 2030, sendo responsável pela análise técnica e financeira das atividades beneficiadas.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir para o topo

Contato

Tem alguma dúvida? Estamos aqui para ajudar!

Entre em contato