Estamos preparando um novo site, enquanto isso, leia mais sobre a nova marca.

Transformação digital na área agropecuária

Um dos principais setores do Brasil também conta com a inovação para aumentar a produtividade e reduzir os impactos ambientais

Compartilhe:


Transformação digital na área agropecuária 1

A tecnologia empregada no campo tem sido determinante para que a agricultura brasileira alcance o patamar atual. A evolução é contínua e agora se consolida uma nova era de tecnologia agrícola originada pela quarta revolução industrial, que mudará a vida das pessoas, o modo que elas trabalham e se relacionam.

Esta revolução está ocorrendo em vários setores da economia e na agricultura não poderia ser diferente. Hoje já não existe mais separação entre os mundos físico e virtual, conectados para facilitar a vida das pessoas. Por trás dessa ideia está o conceito da Agricultura 4.0 (Agro 4.0), também chamada de agricultura digital, uma clara referência à Indústria 4.0, inovação que teve início na indústria automobilística alemã e que agora conquista fábricas de diversos segmentos devido à completa automatização proporcionada aos processos produtivos.

A seguir, veja a entrevista com a Silvia Maria Fonseca Silveira Massruhá, Chefe Geral da Embrapa Informática Agropecuária, a respeito da transformação digital no agronegócio.

O que é agricultura digital?

Agricultura digital é uma agricultura baseada em conteúdo digital, tecnologia de ponta e conectada. A emergência da agricultura digital consiste na inserção de tecnologias digitais em todas as fases da cadeia de valor, tendo em vista a promoção de vantagens competitivas e benefícios socioambientais. Ela se baseia em conteúdo digital por meio do processamento do grande volume de dados que vêm sendo produzidos em todas as áreas que contribuem com o desenvolvimento agrícola como a biotecnologia, as mudanças climáticas, as geotecnologias, as ciências agrárias e a nanotecnologia para gerar conhecimentos que serão aplicados em todos os elos da cadeira produtiva, desde a pré-produção, passando pela produção até a fase de pós-produção.

Já existem vários exemplos tanto no Brasil quanto no exterior em empresas privadas, públicas e startups, chamadas agtechs, que têm oferecido soluções e plataformas digitais para agropecuária.

Qual é o papel da Embrapa nesta transformação digital?

A Embrapa por ser uma empresa pública tem assumido o papel de fomentador, facilitador deste ecossistema de agricultura digital. Muitas vezes, a Embrapa funciona como uma aceleradora e pode compartilhar mentoria, infraestrutura, dados, informações, modelos e algoritmos. A Embrapa atua em várias cadeias produtivas tanto na área animal quanto vegetal. Também pode compartilhar conhecimento em alguns temas, como biotecnologia, nanotecnologia, tecnologia da informação e comunicação, agricultura de precisão e automação, aplicados à agricultura.

Quais são as soluções voltadas para a transformação digital na agropecuária?

Hoje já temos várias aplicações e apps na área animal e vegetal, que englobam a agricultura e pecuária de precisão, a automação e a robótica agrícola, além de técnicas de big data e a internet das coisas. Por exemplo, sistemas para monitoramento de informações agrometeorológicas, monitoramento de pragas, para gestão do rebanho, sistemas para monitoramento e precisão de safras.

Nesta nova era do Agro 4.0 empregam-se novos métodos computacionais de alto desempenho, rede de sensores, comunicação máquina para máquina (M2M), conectividade entre dispositivos móveis, computação em nuvem, métodos e soluções analíticas para processar grandes volumes de dados e construir sistemas de suporte à tomada de decisões de manejo. Com isso, contribuem para elevar os índices de produtividade, da eficiência do uso de insumos, da redução de custos com mão de obra, melhorar a qualidade do trabalho e a segurança dos trabalhadores e diminuir os impactos ao meio ambiente.

Como funciona e quem pode ter acesso a plataforma de inteligência territorial agroideal?

O Agroideal é um sistema de inteligência territorial on-line e gratuito de suporte à tomada de decisões desenvolvido para avaliar os riscos socioambientais associados a investimentos para o setor da soja e da pecuária, buscando maior desempenho econômico e produtivo aliado a baixos impactos ambientais e sociais. A ferramenta é voltada especialmente a agentes setoriais, pesquisadores e gestores, para que adquiram conhecimento do seu território e promovam seu desenvolvimento sustentável.

A Embrapa já participou como unidade do Embrapii?

Atualmente, apenas uma Unidade da Embrapa é Unidade Embrapii, a Embrapa Agroenergia (Brasília, DF). Entretanto, muitas Unidades temáticas da Empresa têm potencial para ser Unidade Embrapii. As empresas podem entrar em contato diretamente com as unidades: https://www.embrapa.br/embrapa-no-brasil

Silvia Maria Fonseca Silveira Massruhá é Chefe Geral da Embrapa Informática Agropecuária, desde julho 2015. Desde 1989, é pesquisadora da Embrapa Informática Agropecuária onde tem liderado projetos na área de engenharia de software, inteligência artificial e computação científica aplicada a agricultura com aproximadamente 90 publicações técnico-científicas e 25 softwares nos temas sistemas especialistas, lógica abdutiva, lógica nebulosa, técnicas de aprendizado de máquina, mineração de dados e textos voltados para o manejo animal e diagnóstico de doenças em plantas.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir para o topo

Contato

Tem alguma dúvida? Estamos aqui para ajudar!

Entre em contato