Minas Gerais fortalece inovação

Durante a Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (Fnit), que contou com patrocínio e participação da Inventta+bgi, instituições e empresas mostraram que o estado está pronto para investir cada vez mais na área

Compartilhe:


finit

Uma verdadeira oportunidade de conectar todo o ecossistema de inovação mineiro e nacional. Assim pode ser definida a Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (Fnit), realizada em novembro, no Expominas, em Belo Horizonte (MG). O evento, que reuniu startups, grandes empresas, universidades, estudantes e pesquisadores em um só ambiente, mostrou o quanto Minas Gerais já se destaca no cenário de inovação.

Ao todo, foram cinco dias de programação sem pausa para descanso, com mais de 300 horas de rodadas de negociação, workshops, maratonas de programação e palestras. Para possibilitar a conexão dos potenciais parceiros, dentro de uma rede ampliada e qualificada, também ocorreu, durante a Finit, o Encontro iTec 2016. Com isso, as instituições e empresas ainda puderam ofertar soluções tecnológicas que atendessem demandas reais de mercado, criando parcerias efetivas destinadas ao aumento da competitividade e desenvolvimento tecnológico.

Além de ser uma das patrocinadoras do evento, a Inventta+bgi participou ativamente do iTec. Maria Carolina Rocha, VP Brazil R&D Incentives da empresa, ministrou uma palestra sobre os cases de sucesso de implantação de uma gestão mais eficiente de recursos e processos para PD&I de seus clientes. “Considerando o contexto atual, em que os recursos de fomento disponíveis não estão abundantes como nos anos anteriores, se faz ainda mais importante que a empresa se estruture e defina uma estratégia para o seu portfólio de projetos de forma a identificar quais as melhores opções de redução dos custos com PD&I, ou seja, via incentivos fiscais da Lei do Bem e/ou captação de recursos”, avalia.

lina

Como resultados, de acordo com ela, “demonstramos que a partir de processos e de uma estratégica bem definida de rankeamento do portfólio de projetos conjugada a análise de ‘mix de recursos’, a empresa consegue otimizar e priorizar melhor qual a fonte de recursos mais adequada, além de ser mais assertiva na utilização dos mecanismos de fomento”, explica Maria Carolina.

Ir para o topo

Contato

Tem alguma dúvida? Estamos aqui para ajudar!

Entre em contato